Contraste: 100 Anos de Vinicius de Moraes

Se você está lendo este blog, provavelmente é brasileiro. Se você é brasileiro, provavelmente conhece Vinicius de Moraes. Se não conhece, provavelmente não deve se considerar brasileiro. Ontem, sábado, dia 19 de outubro de 2013, Vinicius de Moraes estaria fazendo 100 ano! O Google até fez uma página especial em comemoração à data. Vinicius de Moraes, juntamente com outros gênios da música, compôs diversas canções belíssimas, entre sambas bossas, uma melhor que a outra! Vamos analisar algumas delas agora? Vamos!

Samba da Bênção

Uma das mais famosas canções de Vinicius, que compôs juntamente com Baden Powell. A música fala do que é o samba e do que é necessário para fazer um. Inclusive, já fiz um post sobre samba que você pode ler clicando aqui.

  Continuar lendo

Anúncios

Contraste: Top 3 – Despedidas

Voltando hoje com uma antiga coluna aqui do blog! O último Contraste foi sobre A Imensidão do Universo. Pra quem não sabe ou não lembra, esta coluna é uma parte mais descontraída do blog, pra abordar assuntos um pouco diferentes do tema do blog, ou utilizar do tema do blog para tratarmos de outros assuntos. E o assunto de hoje é “Despedidas”. Bem, um assunto nada descontraído para falar a verdade, mas sim sério e pesado. Mas por que falar disso então?

Porque é com grande pesar que informo que um dos integrantes do blog está se despedindo da equipe! Mas não, calma, ele não morreu! Ontem à noite, quando me dirigi ao Labirinto do Minotauro, para buscar seus manuscritos, que então eu digitaria e postaria no blog, encontrei isto:

LMAlgum tipo de código ou mensagem deixada pelo nosso amigo! Ainda estamos trabalhando em cima dela, e temos o nosso melhor pessoal focado apenas nisso! Uma mensagem escrita com seu próprio sangue. Algo muito peculiar. Mas não podemos nos deixar abalar, não muito. Por isso eu e o Stark continuaremos com o blog, até que nossos agentes especiais localizem nosso parceiro.

E por falar em despedidas, que tal nos lembrarmos das maiores despedidas do mundo nerd? Este top 3 vai levar cm consideração a importância, o quão memorável foi e o quão triste foi. Então aqui estão as despedidas mais marcantes para mim no mundo nerd:

O terceiro lugar da nossa lista vai para ninguém mais ninguém menos do que, senhoras e senhores… DARTH VADER! Ou seria Anakin? No final da sua vida o nosso vilão favorito mostra sua face, e vemos o quão decadente e frágil ele era. #RIPDarthVader

Eita bixo feio!

Eita bixo feio!

Continuar lendo

Contraste: A Imensidão do Universo

Você já parou para pensar em quão grande é o Universo…? Reflita um pouco. Você já deve ter aprendido na escola que ele é BEM grande, e não obstante, está em constante expansão e acelerando. Sim, a cada segundo ele aumenta mais e mais. Agora imagine toda esse imenso vazio. Em alguns lugares desse vazio nós encontramos um pouco de pó, água e fogo.

Em algum ponto desse vazio, se encontra nosso sistema solar, que é nada menos do que uma meleca no nariz, comparado ao universo. E o nosso planeta então, esse lugar que chamamos de casa, é apenas uma pequena molécula desse grandíssimo pedaço de nada. Que não tem propósito algum, nem manual de instruções.

E por uma enorme sequência de fatores físicos e climáticos, acidentes e reações químicas, depois de bilhões de anos, nós, seres-humanos, estamos aqui. E com o pouco recurso que temos aqui na Terra, construímos A Muralha, as Pirâmides, e também os cortadores de unha. Mas pra que tal avanço?

Por que construímos casas, prédios, carros, computadores, guitarras? Por que trabalhamos (ou trabalharemos) todos os dias, para ganhar alguns pedaços de papeis que usaremos como moeda de troca, para comprar comida e contratar serviços? O que é a internet, televisão e música, em meio a todo esse vazio?

universo

Muitas pessoas passam e passaram a vida inteira contribuindo com um um pouquinho de nada, que fez esse planeta minúsculo ficar do mesmo jeito que era antes. Será que a vida delas valeu a pena? Como viver uma vida que valha a pena?

Eu acredito que só vivemos uma vez, e temos que aproveitar essa única chance que temos para viver uma vida boa. Ainda não sei bem como fazê-lo, mas já cheguei à algumas conclusões. Sei que terei que trabalhar, então arranjarei (tentarei pelo menos) um trabalho que me satisfaça, algo que eu tenha prazer em exercer. Também acho que não devemos ligar tanto para a opinião dos outros, quando se quer algo que vai te deixar feliz. Vão te achar idiota, ridículo ou acham que não vai dar certo? Bem, eles não são você. Não deixe ninguém tomar decisões (importantes) da sua vida por você (a não ser que você tenha 14 anos e more com seus responsáveis).

E também aprendi que nunca devemos desistir do que queremos, e muito menos nos arrepender. O que passou ficou no passado, não volta, e se você pode, e quer algo, tente, pois se ainda tem uma chance, não custa tentar.

Era isso pessoal. Viva uma vida sem arrependimentos. Não desista dos seus sonhos. Não deixe que os outros tomem decisões por você. Provavelmente você não vai fazer uma grande diferença em toda a imensidão do universo, talvez você faça diferença aqui na Terra, mas o importante é que você faça diferença pra você mesmo.

Contraste: O Guia do Mochieleiro das Galáxias… Ou da Fronteira

Você já ouviu sobre a obra de Douglas Adams né? Se não ouviu, acho que você estava em baixo de uma pedra de uma caverna na lua. Vou explicar. Está é uma série de livros bem malucos, que conta a história de Arthur Dent, um cara que foge da Terra com um amigo alien minutos antes dela ser destruída. A partir daí começa sua aventura pelo espaço. O livro tem esse nome, pois existe um e-book homônimo, que contém informações essenciais para os mochileiros da galáxia. Como onde dormir, comer, e como se comportar com certas criaturas.

Mas não é bem sobre o livro que eu quero falar. É que no momento, eu estou viajando, e como o Guia do Mochileiro das Galaxias conta as viagens de Dent, eu vou contar a minha pela fronteira.

Eu saí com o meu pai de Porto Alegre por volta das sete da manhã (nós queríamos sair mais cedo, mas dormimos demais), e pegamos a Free Way, ou BR-290. Tinha um pouco de movimento, por causa do pessoal indo trabalhar, mas nada demais. Nossa primeira meta era Pelotas, que fica relativamente longe. Após passarmos por alguns pedágios (que custaram um bom dinheiro, quase uns 30 reais no total), nós chegamos em Pelotas, mas não paramos lá, só seguimos reto mesmo.

O próximo ponto de referência era Chuí, o extremo sul do Brasil. Essa estrada foi bem cansativa. Era praticamente uma reta interminável. Não tem dez curvas aquela estrada. Eu até dormi um pouco. Mas nós passamos pela Reserva do Taím. Uma reserva que possui um pouco de verde, e alguns animais.

Depois paramos em posto porque a natureza chama né. E depois em outro para abastecer. Seguimos viagem, passando por Chuí, e chegando na aduana brasileira, onde não tivemos que mostrar nada, e logo chegamos na aduana uruguaia, onde conseguimos a devida documentação, e passamos a fronteira.
Nossa primeira parada foi na Fortaleza Santa Tereza. Um lugar indicado pelo síndico do prédio, kkkk. O lugar é bem legal, é um fort de meados da Idade Moderna e tal. Bem legal pra quem joga RPG, ou lê livros dessa época. Lá tinha canhões, os baluartes, e diversas salas, como cozinha, capela e a sala da pólvora.

100_0583 100_0607

Depois passamos por diversas praias, que até pareciam legais. Mas elas são feitas pra mochileiros mesmo, alguém que está viajando, quer se divertir, e não se preocupa com muita coisa. As praias não eram muito bem estruturadas, tinha muita estrada de chão, e gente pra todo lado.

100_0690 100_0669

Depois dessas praias, chegamos a La Palloma, que era nosso objetivo. Esta praia já é melhor estruturada. Tem cara de cidade mesmo, não de um vilarejo como as outras. Ela parece um pouco com Imbé/Tramandaí. Nós estamos hospedados num hotel aqui (não vou fazer propaganda, não ganho pra isso).

Nessa praia, nós visitamos alguns lugares, como a Lagoa da Rocha, ou o farol da cidade. E também assistimos ao por do sol, que é muito lindo, e todos aplaudem depois que o sol vai embora.

100_0869 100_0771

Ficamos duas noites em La Palloma, então partimos para Punta Del Este, vimos como era, tiramos uma foto, e voltamos. A viagem de volta foi bem tranquila. Já conhecíamos o caminho. Viemos escutando música. A viagem ao todo foi bem legal. Nunca tinha feito nada assim com o meu pai. Nos divertimos, tiramos fotos, rimos, comemos.

E se você não gosta de sair de casa. ou odeia viagens, eu te entendo. Mas se ainda não leu, leia o meu post Vamor Rodar. Bem, esse foi meu Guia do Mochileiro da Fronteira, embora eu não tenha ido de mochileiro, hahaha. Até o próximo post!

Contraste: Máquina de Goldberg

Você sabe o que é uma máquina de Goldberg? Máquina de Goldberg é uma mecanismo super complicado para fazer uma tarefa muito simples. O resultado não é importante. O foco é complicar. Você deve lembrar desta máquina no desenho Tom&Jerry, onde o Tom fazia uma engenhocas pra pegar o Jerry. Onde ele joga uma bolinha, que liga um ventilador, que faz o barco andar, que cutuca uma pássaro, que empurra um carrinho, e por aí vai.

capa-do-livro-a-maquina-de-goldberg-de-fido-nesti-e-vanessa-barbara-1353158075154_300x420

Mas eu quero focar em uma HQ chamada A Máquina de Goldberg. A história foi criada pela paulista Vanessa Bárbara, e ilustrada por Fido Nesti. A HQ conta a história de Getúlio, um gordinho punk que é obrigado a ir para o acampamento de férias da escola. Lá ele sofre muito bullyng e é rejeitado pelos seus colegas.

Rufus, o cara que coordena o acampamento, é muito rude e cobra bastante de todos, principalmente de Getúlio. Mas Getúlio acaba conhecendo Leopoldo, o zelador do acampamento, que é fanático por máquinas de Goldberg. Ele ensina a Getúlio como fazê-las, e juntos eles fazem um plano para acabar com a tirania de Rufus, que maltrata a todos no acampamento por décadas.

A HQ passa uma mensagem muito boa. Sobre companheirismo, amizade, e complicar o que é simples. Recomendo que leiam e aprendam a complicar as coisas.

Contraste: A Madrugada

Contraste vai ser uma coluna aqui do blog, que vai ter autores alternados. Ela vai ter assuntos diversos. Mostrando o contraste dos pensamentos de nerds, filósofos, ou revoltados, que têm uma visão diferente, ou não né. Vai ser mais pessoal e reflexiva (eu espero), mas também, tratando sobre coisas do cotidiano da maioria das pessoas, como por exemplo, hoje, veremos o contraste da vida diurna das pessoas normais com a vida noturna que os nerd se submetem para poderem acompanharem seus seriados e animes. Hoje o assunto é a madrugada.

O que seria dos nerds sem essa hora do dia? Quando todos estão dormindo, a banda larga mais rápida, permitindo que baixemos séries, animes e músicas a velocidades impossíveis de serem alcançadas a tarde. hehe.

Não se sabe bem que horas começa ou termina, mas podemos definir mais ou menos assim: começa na hora que você devia ir DORMIR, e termina na hora que você devia estar ACORDANDO. As vezes é tão dificil abandoná-la, doce madrugada. No silêncio inabalável, que nos deixa calmos e relaxados, para que tiremos todo o conteúdo do atraso.

Maratonas de séries que esquecemos de acompanhar, ou começamos a ver agora. Capítulos de quadrinhos ou mangás que estão sendo laçados a anos, como The Walking Dead e One Piece. Baixar discografias completas das nossa bandas preferidas. Ou simplesmente, ler matérias sobre a madrugada em algum blog por aí.E não podemos esquecer da nossa companheira inseparável, a destemida e brava CANECA DE CAFÉ! (ou xícara, mas cabe mais em uma caneca)

                                                                                       

Este doce (ou amargo) líquido, que mais parece um espelho negro, um lago calmo em uma noite sem estrelas, transbordando cafeína, para nos manter na batalha contra o tempo. Fazendo com que percamos o sono e nos impelindo a seguir nosso caminho rumo ao desconhecido do próximo capítulo, ou episódio.

Ah, o próximo capítulo, o famoso “só mais um”. Quem nunca? Você acaba de ler um capítulo daquele mangá, ou episódio daquela série, e você achou tão engraçado, ou tão interessante, que não pode ir dormir sem saber o que veio depois. Aiai, somos tão tolos, pois, no fim do “só mais um”, acontece algo, que acende a nossa chama, a vontade de saber o que veio depois, e novamente, nós assistimos “só mais um”. E a xícara/caneca/balde de café, sempre ali, ao nosso lado, nunca nos abandonando, afogando nosso sono e nos transformando (lá pelas 5 da manhã) em zumbis, em frente ao computador, absorvendo conteúdo.

É, a madrugada é realmente, uma hora do dia muito agradável, que satisfaz nosso desejo intelectual, de absorver informações que não podemos durante o dia, devido a N motivos. O único, e grande problema desse horário, e que o sono fica desregulado, e é um sacrifício para acordar depois, hehehe.

Bem, dependendo da hora que você está lendo isso, pode ser de madrugada, e você está sem sono, com seu café amigo do seu lado. Café novo, café esquentado no microondas, forte, fraco, doce ou amargo, não importa, ele nunca vai deixar você dormir se você não assistir ou ler “só mais um”…